Facetas diretas em resina composta: o desafio dos incisivos centrais jovens.

Introdução

Com a ampla divulgação de técnicas restauradoras indiretas em cerâmica, onde existe a necessidade de desgaste prévio da estrutura dental sadia, a resina composta ganha um lugar de destaque por permitir restaurações duradoras, conservadoras, estéticas e simplificadas.
Nesse relato de caso, a paciente estava insatisfeita com a estética anterior devido à presença de restaurações insatisfatórias de resina composta, e procurou uma solução não invasiva, com o máximo de conservação dental possível para o caso.

Relato do caso

A presença de restaurações antigas em resina composta nos incisivos centrais, além de esteticamente insatisfatórias, ainda alteravam a curvatura da linha do sorriso, mostrando um sorriso com aspecto envelhecido não condizente com a idade da paciente. Por se tratar de uma paciente jovem, foi proposto a troca da restauração antiga por facetas diretas em resina composta, sem desgastes, para harmonizar o sorriso e devolver a correta curvatura da linha do sorriso.

Tratamento proposto

Troca das restaurações antigas por facetas diretas em resina composta estratificadas.

Figura 1 a 7: Aspecto inicial das restaurações insatisfatórias em resina composta.

Figuras 8 a 11: Enceramento diagnóstico do caso para recuperar a linha do sorriso e forma correta dos incisivos centrais. O responsável por essa etapa do tratamento deveria ser o dentista, pois possibilita uma visão anterior ao tratamento e um melhor resultado restaurador.

Fig. 12

Figura 12: Resultado do ensaio restaurador feito com resina bisacrílica para verificar guia de protrusão e harmonia da linha do sorriso.

Figuras 13 e 14: A verificação e seleção da cor deve ser realizada antes do isolamento do campo operatório para evitar erros. Dentina no terço médio e translúcidos na borda incisal. Foram testadas as resinas no terço médio: Estelite Omega DA3 (distal) e DA2 (mesial). No terço incisal: Estelite Omega Trans (distal), MW (meio) e Empress Direct Trans Opal (Ivoclar Vivadent) (mesial). Na seleção final foram escolhidas as resinas Estelite Omega DA2, MW e Trans.

Figuras 15 e 16: Isolamento absoluto com lençóis de borracha Nic Tone Blue e remoção da restauração antiga com broca multilaminada 18 lâminas para evitar desgastes desnecessários.

Figuras 17 e 18: Condicionamento do esmalte com ácido fosfórico 35% por 30 segundos (Potenza Attacco) e resultado do condicionamento.

Fig. 19

Figura 19: Aplicação de adesivo convencional de 3 passos (somente o bond hidrofóbico).

Figuras 20 e 21: Confecção da parede palatina bem delgada com o auxílio de uma muralha em silicone laboratorial para restaurar corretamente a anatomia palatal.

Figuras 22 a 25: Confecção da dentina com Estelite Omega DA2. Nessa fase restauradora já é esculpido o formato dos mamelos internos.

Fig. 26

Figura 26: Opacificação com corante resinoso de alguns mamelos para reproduzir o efeito natural presente no dente da paciente.

Figuras 27 e 28: Aplicação de uma fina camada de Estelite Omega Trans sobre os mamelos na borda incisal para permitir a passagem de luz e evidenciar os efeitos intrínsecos.

Figuras 29 a 31: Aplicação de uma fina camada de Estelite Omega MW para substituir o esmalte dental. Essa camada não deve ultrapassar 1mm de espessura na sua região mais espessa. Isso faz com que os efeitos internos possam ser visualizados e o dente não fique com o aspecto acinzentado.

Fig. 32

Figura 32: Bloqueio do oxigênio com lubrificante à base de água ou gel de glicerina para completa polimerização da camada inibida por oxigênio presente na superfície da restauração.

Figuras 33 a 36: Acabamento das facetas em resina. Primeiro em toda a periferia do dente com discos de lixa para conseguir o formato correto, depois nas arestas e lóbulos para separar área de sombra da área de espelho com broca multilaminada 18 lâminas.

Figuras 37 a 40: Resultado final das facetas diretas em resina composta.

Dica clínica

A melhor forma de entender resina composta é através do estudo das suas propriedades de translucidez e opacidade. A espessura do incremento somada à translucidez da resina faz toda a diferença no resultado estético de restaurações em resina composta. Teste a resina em um manequim antes de ir para a restauração final, dessa forma o processo restaurador será mais simples e previsível.

Conclusão

O completo domínio das técnicas de estratificação em resina composta é um fator primordial para o sucesso de restaurações em regiões desafiadoras como incisivos centrais, por esse motivo, é muito importante o conhecimento de diferentes efeitos e características do material. Dessa forma, é possível restaurar com naturalidade e simplicidade, principalmente evitando desgastes de estrutura dental saudável por estética.

Referências

⦁ Da Rosa Rodolpho PA, Donassollo TA, Cenci MS, et al. 22-Year clinical evaluation of the performance of two posterior composites with different fillercharacteristics. Dent Mater. 2011 Oct;27(10):955-63.

⦁ Villarroel M, Fahl N, De Sousa AM, et al. Direct esthetic restorations based on translucency and opacity of composite resins. J Esthet Restor Dent. 2011 Apr;23(2):73-87.

⦁ Nahsan FP, Mondelli RF, Franco EB, et al. Clinical strategies for esthetic excellence in anterior tooth restorations: Understanding color and composite resin selection. J Appl Oral Sci. 2012 Mar-Apr;20(2):151-6.

Dr. Tiago Veras

Dr. Tiago Veras

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Envie-nos sua sugestão



Quer sugerir um conteúdo?

Sugira um conteúdo que seja de seu interesse para que possamos postar no blog.