Entenda a diferença entre Palfique LX5 x Estelite Omega

Olá pessoal, hoje o tema abordado no blog será sobre a diferença entre as resinas ESTELITE OMEGA e PALFIQUE LX5. Duas linhas de resinas da Tokuyama Dental que possuem ótimo polimento, brilho e lisura superficial, assim como excelente capacidade de manuseio. Mas, como duas resinas que possuem o mesmo fabricante, a mesma tecnologia de partículas supra-nanométricas esféricas monodispersas uniformes, podem também apresentar tanta diferença entre si?

Para melhor entender o assunto, vamos dar uma introdução sobre a estrutura dental em relação as suas propriedades ópticas e morfológicas.  Reproduzir um dente natural através de restaurações com resina composta demanda conhecimento sobre anatomia dental externa e interna, assim, como entender a influência de cor e relaciona-la junto as propriedades ópticas da luz e sua interação com os materiais restauradores, para criar a ilusão de fenômenos como fluorescência, opalescência e translucidez.

Antes de selecionar o material restaurador, PRIMEIRO deve-se observar o sorriso como um todo e o DENTE HOMOLOGO, pois ele será um guia para ajudar na estratificação da restauração. O que devo observar no dente homologo?

– Registro da cor do elemento dental com a escala VITTA (fotografia irá ajudar para realizar um mapeamento de cor)

– É um dente de alto valor ou baixo valor?

– Elemento dental mais translúcido ou opaco?

– Quantidade de dentina

– Lóbulos e sulcos de desenvolvimento

– A incisal (orientar no efeito de opalescência)

– Forma, convexidades, bordas, ângulos

– Zênite gengival, bossa cervical, linhas de brilho, área de espelho e área de sombra.

Deve-se observar e levar em consideração o SUBSTRATO DENTAL a ser restaurado e a extensão da restauração, como por exemplo:

– Qual o tipo de restauração? (Classe V, Classe IV, faceta…)

– Essa restauração envolve dentina e esmalte?

– É um dente clareado?

– É um dente que já foi tratado o canal ou sofreu algum trauma e se apresenta escurecido?

Após observar esses fatores, o próximo passo é a escolha do material restaurador e surge a seguinte dúvida: Qual sistema de resina composta devo utilizar, ESTELITE OMEGA ou PALFIQUE LX5? Vamos falar um pouco sobre esses compósitos e tentar esclarecer algumas dúvidas.

ESTELITE OMEGA:

A Estelite Omega é disponibilizada em cores para esmalte, dentina, cores de efeito e para dentes clareados. As resinas de esmalte se diferenciam das resinas de dentina por serem mais translúcidas, ou seja, com menor opacidade. A de efeito TRANS é utilizada na incisal para reproduzir o efeito opalescente. A resina de efeito MW (Milk White) mesmo translúcida, possui um aspecto leitoso, utilizada como camada de finalização das restaurações.

Esmalte: EA1, EA2, EA3, EB1.

Dentina: DA1, DA2, DA3.

Efeito: TRANS, MW.

Dentes clareados: BL1, BL2.

O tipo de partículas irá influenciar no aspecto final das restaurações, na lisura superficial, no polimento, na manutenção da restauração a longo prazo e, assim como no manuseio, pincelamento e resistência. As resinas ESTELITE OMEGA e PALFIQUE LX5 possuem partículas supra-nanométricas esféricas uniformes e monodispersas, o que confere ótima capacidade de manuseio, propõem perfeito polimento e lisura superficial, além da longevidade do brilho da restauração.

PALFIQUE LX5:

A Palfique LX5 apresenta cores de esmalte, dentina e cores de efeito. As resinas de dentina são mais opacas quando comparadas com as de esmalte, sendo a OPA2 mais opaca. A CE (Clear Enamel) é uma resina translúcida utilizada para confecção da parede palatina nos casos de restaurações classe III e IV, também utilizada na incisal para reproduzir efeito opalescente. A BW (Bleach White) é utilizada como uma dentina clareada e WE (White Enamel) é utilizada como esmalte clareado.

Esmalte: A1; A2; A3; A3,5; A4; A5; B1; B2; B3; B4.

Dentina: OA1, OA2, OA3 e OPA2 que é a mais opaca.

Efeito: CE, BW, WE.

A resinas Palfique LX5 são utilizadas em dentes de baixo valor, por se apresentarem mais translucidez, principalmente as resinas de dentina quando comparadas com as resinas da linha ESTELITE OMEGA que são resinas mais opacas. As resinas Estelite Omega, apresentam maior opacidade e resultam em maior reflexão de luz, garantindo uma restauração com um valor (luminosidade) aumentado, indicada assim, para dentes de alto valor.

Em casos de dentes escurecidos, que necessitam de resinas mais opacas para mascarar o fundo do substrato dental, indica-se a resina Estelite Omega, por serem mais opacas e não resultarem em um aspecto final acinzentado. Em restaurações cervicais não cariosas, onde ocorreu a perda e/ou desgaste de esmalte dental, indica-se a resina Palfique LX5 por apresentar ótimo efeito mimético (efeito camaleão).

MEU SISTEMA DE RESINA COMPOSTA NA ESTRATIFICAÇÃO DA RESTAURAÇÃO:

Após observar o dente homologo, o elemento dental que será restaurado e ter escolhido, o tipo de restauração e assim, ter selecionado o sistema de compósitos para trabalhar, podemos realizar um mapeamento para a estratificação do elemento dental em questão.

Selecionar as cores de dentina e esmalte, com o auxílio da escala VITTA, as resinas a serem utilizadas para a região do colo, terço médio, a cor do esmalte pelas áreas proximais, e então selecionar a camada incisal, verificando a necessidade de resinas de efeito e a resina de esmalte para finalização.

Na técnica de estratificação, uma camada de compósito translúcido é aplicada sobre outra de compósito opaco para criar profundidade. Resinas translúcidas são aplicadas nas áreas proximais, pois são áreas de deflexão de luz (área de sombra) e resinas opacas nas regiões cervicais e de terço médio, sendo intercaladas com resinas de efeito e translucidas no cerco incisal para criar efeito de opalescência.

A figura a seguir é representada por um dente de gesso, que ilustra um Incisivo Central Superior e demarca as áreas citadas anteriormente para melhor entendimento. Área de espelho e área de sombra: No sentido mésio-distal, os incisivos centrais são planos (área de espelho) delimitada por duas linhas de brilho (mesial e distal) com uma “quebra” bem evidente (em torno de 70o a 80o).

A partir das linhas de brilho para as bordas proximais, forma-se uma região chamada de área de sombra. Essa região não reflete luz, e quanto menor seu tamanho, maior será a área de espelho no sentido mésio-distal, dando a percepção de um dente mais largo e vice-versa.

Conclusão

Então a escolha do sistema restaurador irá depender do valor do substrato dental (alto ou baixo valor), da área dental a ser restaurada e da extensão (tipo) da restauração, para a seleção de resinas translúcidas ou opacas, assim, como as resinas de efeitos. Para reproduzir um dente natural, o conhecimento sobre anatomia dental é de suma importância, assim, como entender as propriedades ópticas da luz e sua interação com os materiais restauradores.

Dra. Caroline Provesi

Dra. Caroline Provesi

Comentários

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Envie-nos sua sugestão



Quer sugerir um conteúdo?

Sugira um conteúdo que seja de seu interesse para que possamos postar no blog.